Prof. Igor Oliveira

07/08/2013 | 13:07
Compartilhar

A cultura do imediatismo

Foi realizado um experimento com dois grupos de crianças. O primeiro composto por crianças de descendência japonesa e o segundo, africana. O experimento consistia de duas caixas com quantidades diferentes de doces. As crianças possuíam duas opções: escolher a caixa com menos doces agora ou a caixa com mais doces depois. Menos agora ou mais depois?

Na primeira fase do experimento, realizada dentro das residências, a maioria das crianças japonesas preferiu esperar e comer mais doces depois. Ao passo que a maioria das crianças de origem africana preferiu comer menos, mas agora. Posteriormente, foi feito o mesmo experimento, mas desta vez com as crianças longe da presença de suas respectivas famílias. Sabe qual foi o resultado? Isso mesmo: a maioria de todos os dois grupos pegou menos doces para comer agora! Ou seja, o fator social e a influência dos pais foram decisivos no resultado do experimento. Com isso, podemos afirmar, mesmo que de forma bem superficial e simples, que saber esperar não é uma questão genética, mas cultural. Não à toa o Japão tem um dos maiores índices de poupança do mundo. Ou seja, os japoneses sabem esperar, inclusive para gastar. Não à toa também, o nível de endividamento das famílias brasileiras vem crescendo. Ou seja, para o brasileiro, genericamente falando, vale o menos, mas agora.

Regressando ao nosso universo, quando começamos a estudar para concurso, é muito comum querermos passar logo. Quem não quer? No entanto, é muito importante desenvolver a consciência de que concurso público é um projeto de médio prazo. Quando não temos esta percepção e o tempo começa a passar, a frustração da demora é quase uma certeza. Durante minha preparação, eu fiquei seis meses planejando antes de abrir um livro. Costumava comparar meu planejamento com o de uma "Operação Anfíbia", pois, segundo a doutrina militar, este é o tipo mais complexo de operação militar, que não admite falhas. Daí a necessidade de um planejamento detalhado.

Assim, a preocupação com o futuro deve ser materializada num planejamento de estudos bem elaborado. Além disso, não podemos confundir jamais pressa em passar com pressa em aprender. Estudar de forma desesperada, afoita, é a maior furada. Você não aprende e ainda perde tempo. Insisto que a melhor forma de combater esta angústia é tentar viver no presente. Estudar com qualidade, com base em um plano. Desapegar dos resultados e dar seu melhor hoje. Tem pressa em passar? Preocupe-se em cumprir o seu planejamento.

Hoje em dia tenho minhas dúvidas se as desistências que ocorreram durante a preparação são por falta de motivação ou de paciência em cultivar o conhecimento. Uma boa analogia seria fazer uma dieta. Pesar todos os dias não vai fazer você emagrecer. Cabe a você apenas cumprir o cardápio proposto e aguardar o tempo agir. Pra quem sabe esperar, tudo vem a tempo.

Por fim, gostaria de deixar um vídeo divertido sobre o tema:

CLIQUE AQUI

E você, sabe esperar? Você é daqueles que come quente ou sabe saborear o prato da vitória conquistada dia-a-dia?

Caso precise de uma mãozinha nos seus estudos, lancei minha segunda turma de coaching básico. A proposta foi completamente reformulada e conta inclusive com depoimentos de ex alunos.

CONFIRA AQUI.

Abs!

Igor Oliveira.


Comentários

  • 14/08/2013 - Adriana
    Era de uma leitura como essa que eu estava precisando...Obrigadíssima pelo belo texto: objetivo e motivador!
  • 15/08/2013 - Prof Igor Oliveira
    Valeu mesmo Adriana! Conte sempre comigo! Igor.
  • 08/08/2013 - Gisele Rodrigues
    Seu artigo veio em boa hora e digo que estou em sintonia com meu coaching. Valeu Igor! Abraço.
  • 08/08/2013 - Prof Igor Oliveira
    hahaha...valeu Gisele! Vc é uma ótima aluna!!! Confio muito em vc!
  • 07/08/2013 - Erbson Lima
    Nos ocidentais somos imediatistas.
  • 07/08/2013 - Prof Igor Oliveira
    Genericamente falando, com certeza.
  • 07/08/2013 - Carla Siqueira
    Tenho aprendido, recentemente, a esperar o tempo para que cada sonho/desejo aconteça da melhor maneira possível. Sem dúvida alguma o segredo para que a ansiedade não nos domine é o planejamento. Ele conforta o coração e as angústias, saber o que deve ser feito e a hora que deve acontecer tira a angústia e o imediatismo das nossas vidas. Melhor quando se torna uma questão apenas cultural. Muito bom artigo professor!
  • 07/08/2013 - Prof Igor Oliveira
    Olá Carla, que surpresa boa você por aqui! rs...obrigado pelo comentário. Conte sempre comigo! Abs!
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: