Prof. Fernando Mesquita

07/08/2013 | 11:00
Compartilhar

O Sucesso de A a Z - [H] <b>H</b>oje - Combata a ansiedade

Nunca antes na história dessa série tivemos uma disputa tão emocionante entre os temas. Não tive opção ontem senão ficar assistindo as respostas chegarem. Eu narraria toda a saga, mas nao quero perder o foco. Essa foi a parte final da cousa:

 

 

Com a vitória dos hipopótamos digitais do hoje, quem porventura quiser ver os outros temas, fique ligado, que ainda temos muitas emoções pela frente (de tão emocionante, estava quase com o texto dos hipopótamos digitais prontos - interessantíssimo - e tive de partir para o hoje, em uma honrosa vitória).

 

Quero agradecer a todos que participaram. A experiência até agora tem sido muito, muito bacana e o feedback é incrível. Como abri para ideias, essas foram algumas das que surgiram:

 

 

    • Insegurança e medo em relação àquele concurso TOP
    • Obediência e hierarquia no serviço público
    • Como lidar com as críticas
    • Como ser uma pessoa otimista
    • Como aprender a estudar corretamente
    • Habitualidade - a importância de criar o hábito dos estudos
    • Ansiedade

 

Tenho certeza que muitos de vocês ficaram tímidos para sugerir ideias, mas saibam que qualquer dica é importante - gosto de saber o que se passa em sua cabeça e isso me ajuda a saber o que escrever.

Mais abaixo, uma nova chance de contribuir para com nosso crescimento e nosso desenvolvimento.

 

***********************************************************************

Hoje


A importância de viver um dia de cada vez

 

Fazer compras. Passar no concurso. Comprar uma casa. A prova está chegando. Pagar as contas do mês. Cartão de crédito vencido. Gasolina acabando. Reunião amanhã de manhã. Artigo da letra I - qual será? Quem vai morrer na novela? Não esquecer de visitar os sogros. Procurar o vídeo. Mandar o contrato. Assinar o termo.

 

Este artigo trata de um sério problema do concursando: a mania de viver no futuro.

Não me entenda mal. Como administrador, reconheço as principais virtudes do planejamento - preparar-nos para as mudanças ambientais, analisar as variáveis, a concorrência. Checar tendências. Antecipar o que puder ser antecipado.

Entretanto, chegamos a um ponto em que o frenesi pelo amanhã é tão grande que o hoje parece já não existir - como se não fosse o futuro a invenção mental, não o presente.

Esse mau hábito é a principal causa da ansiedade, que nada mais é do que viver no futuro - com preocupações excessivas em relação a ele.

Recentemente, li um texto interessante que tratava do tema ansiedade. Dizia ele:

"Em primeiro lugar, precisamos compreender que a ansiedade é uma dificuldade íntima de lidar com o tempo. Há uma expectativa exagerada com relação ao futuro, seja positiva ou negativa. Quando o ansioso espera que algo bom aconteça, ele deixa com que suas expectativas entusiasmadas tomem conta do seu dia-a-dia, mal podendo esperar o futuro chegar. Se, pelo contrário, o ansioso teme que algo negativo ocorra, ele se deixa tomar pelo medo e angústia, desejando que o futuro nunca chegue ou cedendo tempo mental para pensamentos temerosos e catastróficos."

Fran Christy

 

Ora, não há local mais apropriado para se discutir as influências da ansiedade do que em site sobre concursos públicos. Dependemos sobremaneira dos desígnios imprevisíveis da política, do ânimo dos dirigentes dos órgãos. Ao mesmo tempo, dependemos de resultados, de gabaritos do Cespe e de atividades que independem completamente de nós. O que podemos fazer é cuidar do antes - estudar com qualidade, antecipar o que puder ser antecipado e torcer pelo melhor.

Entretanto, nem todos lidamos com essas circunstâncias da melhor forma possível. São sinais de que algo está errado:

- Problemas com o sono (alterado, curto, agitado)

- Variações bruscas de humor (euforia seguida de grande tristeza, por exemplo)

- Desânimo em relação a uma grande tarefa (como a que encontramos ao decidir estudar para um concurso "difícil")

 

Conversando com o Dr. Rogério, um psiquiatra de Brasília (em entrevista para meu livro Concursandos - O livro), ele me disse o seguinte:

"A ansiedade pode ser um problema químico resultante de uma desregulação do corpo. Dependendo do grau, é interessante até mesmo uma intervenção com fármacos (remédios)".

Fiquei um pouco preocupado e perguntei ao médico se haveria alguma alternativa para o tratamento. O que ele me disse foi realmente impressionante:

"Embora algumas pessoas de fato percam o controle de suas emoções e precisem dessas intervenções esporádicas, encontrar equilíbrio e ajuste na vida emocional é fundamental para o processo. É importante que o paciente pratique trazer a atenção para as coisas que está fazendo no momento. Sempre recomendo que, quando comece a pensar excessivamente no passado ou no futuro, traga a mente de volta para o hoje. Em boa parte, trata-se de tentar controlar as 'viagens' da mente no tempo - evitando as preocupações sobre o futuro e os arrependimentos do passado. Ambos nos roubam o agora. É difícil no início, mas vai ficando cada vez mais fácil com a prática".

 

Se você quer lidar com a ansiedade e passar a viver o hoje mais do que o amanhã, há algumas táticas que você pode adotar - e que costumam ajudar a todos nós, principalmente quando se transformam em hábito:

 

 

Planeje com antecedência e com parcimônia

Impressionantemente, preocupar-se com o futuro de forma controlada ajuda a viver no presente. Isso acontece porque uma das funções do planejamento é exatamente nos preparar para o futuro. 

Recebi recentemente a mensagem de uma colega que se preocupava com a possibilidade de a RFB exigir títulos no próximo concurso (desconheço essa situação e estou só oferecendo um exemplo, ok?). Ora, o que sugeri a ela? Que fizesse uma especialização, então, começando agora. Com os cursos a distância, é extremamente simples (e, muitas vezes, barato) conseguir um título de especialista. Por que deixar isso te influenciar negativamente?

Da mesma forma, há muitos candidatos se preocupando com alterações, mudanças e situações imprevisíveis. Oras, eu sei que o próximo concurso do Bacen será realizado pelo Cespe, mas não sei como ele vai sair e não sei quais vão ser as matérias. O que posso fazer é planejar na dimensão que me é possível: estudar o histórico do Cespe, tentar pegar as matérias que comumente são cobradas, contratar um Coach - que é um profissional que tem traquejo no tratamento dessas matérias, procurar ampliar meus conhecimentos para ter uma margem, estudar economia (que muito provavelmente será cobrada). 

O problema é que eu não posso me preparar para tudo. Entretanto, desenvolver uma atitude positiva em relação ao imprevisível, embora difícil, parte dessas atividades. Ter dia e hora para pensar no futuro (exemplo: tirar um dia da semana para fazer seu planejamento semanal) pode reduzir a ansiedade em relação àquilo que vai acontecer, além de te ajudar a ajustar o tempo disponível às atividades necessárias.

 

Aprenda a não controlar tudo

Desnecessário seria dizer isso, mas aparentemente não é.

Não podemos controlar tudo. A bem da verdade, muitas vezes não conseguimos controlar nem as coisas mais simples do nosso dia. Portanto, aceitar a falta de controle é parte do processo.

O que isso significa? Que não importa o que aconteça, eu estarei preparado para agir quando o momento chegar. Exemplo prático: aqui no trabalho, recentemente foi instalado um sistema que reduziu ou tornou completamente desnecessária a atuação de alguns servidores. Embora isso possa ser visto como uma grande vantagem ("agora, posso me dedicar a outras tarefas", "Poxa, que bom - poderei me preocupar em gerar valor em vez de ficar carimbando papéis"), gerou bastante desconforto em algumas pessoas, que se resumiram a perguntar "E agora, o que eu vou fazer?". 

Isso é um exemplo de que o incontrolável acontece mesmo no serviço público, onde as coisas são mais ou menos estáveis. A sua condição de reação muitas vezes determina sua saúde mental e uma nova posição que pode se transformar em oportunidade em vez de martírio. Não podemos controlar tudo. Mas não significa que não podemos controlar a forma como vamos reagir àquilo que não podemos controlar.

 

Ocupe-se

No mais das vezes, uma parte da ansiedade acontece por uma falta de planejamento e uma falta de preenchimento do dia com atividades produtivas.

O planejamento mais uma vez entra em jogo: se sei o que preciso fazer naquele dia, torna-se improvável que fique me ocupando excessivamente com o amanhã.

Obviamente, fazer alguma atividade física é fundamental - ajuda a liberar endorfina, melhora o humor de forma geral e exige concentração. Se você tem problemas com concentração, aplicar-se em um esporte pode ser uma grande ferramenta no seu preparo.

Apesar de o fato de estar ocupado, em si, ser uma grande ferramenta, não basta. É preciso aplicar-se em suas atividades. Muitas vezes, fazemos as coisas sem pensar, sem concentração, sem cuidado. Isso vale desde os trabalhos mais chatos até o estudo. Quantas vezes você se pegou lendo uma página do livro (provavelmente de uma matéria que não gostava) e pensando na morte da bezerra?

Esforce-se para prestar cada vez mais atenção às atividades do presente. Faça tudo com atenção e com cuidado. Desde lavar as louças até preparar seus mapas mentais. Isso vai mudar positivamente sua vida e sua relação com suas atividades diárias, além de ajudar sobremaneira a reduzir a ansiedade.

 

Analise sua evolução

Especialmente para as pessoas mais ansiosas, deve ser irritante ouvir o tempo todo que "é um processo longo". Eu entendo a frustração, mas, bom... É um processo longo, de fato. Não há solução pronta para ontem.

Estamos falando de desenvolvimento pessoal. Ele pode levar muito tempo, principalmente se estivermos tratando de problemas consolidados com os anos. Oras, se estou dirigindo meu carro e, de repente, me dou conta que deveria ter feito um retorno à direita 1200km atrás, não devo esperar conseguir corrigir isso nos próximos 10 minutos, certo? 

Com esses novos hábitos ocorre a mesma coisa. Muitas vezes, nossos problemas já estão ocorrendo há tempos. Esses problemas vão sendo consolidados e reforçados por novos comportamentos que adotamos para acomodá-los em nossa rotina. Mudá-los exige, primeiro, novos comportamentos - o primeiro deles certamente sendo a necessidade de avaliar a situação e agir de forma inteligente.

Às vezes, por estarmos no meio de nossa própria situação, é difícil avaliar como estamos. Por isso, precisamos de alguns mecanismos para podermos analisar como éramos e como estamos evoluindo. São ferramentas úteis nesse caso:

 

Escrever um diário ajuda. Ele serve como ferramenta de consulta para saber como você lidou com os problemas no passado. Ele não precisa se focar em eventos cotidianos. Se você se sentir mais confortável (principalmente no caso dos homens), pode chamá-lo de RTR - Registro Temporal de Reações =D. Nele, pode anotar como estava na véspera dos resultados, o que fez para aliviar o estresse da espera e qual foi o resultado que obteve. Se você faz muitas provas, logo terá uma clara indicação de padrões. E padrões são os melhores amigos de quem quer avaliar as situações.

Analisar gatilhos é fundamental e o diário (ou RTR) com certeza ajudará a entender como as emoções são deflagradas. Gatilhos são momentos, pessoas ou lugares que iniciam certos comportamentos (falei recentemente sobre isso e falarei novamente no futuro, o assunto é importante). Se a liberação de um gabarito gera ansiedade, faça alguma coisa que você gosta nas horas que antecedem o evento: assista um filme, pratique um esporte, fique com quem você gosta. Ocupe-se. Saber quando e por que o comportamento começa e uma das partes mais importantes na reversão dos efeitos indesejados.

Recompensar-se pelas pequenas vitórias faz parte do reforço de bons hábitos. A teoria é longa e vou poupar-lhe dos detalhes por ora, mas sempre que você se deparar com alguma evolução nesse sentido (opa! não fique apertando F5 no site do Cespe a cada 3 minutos), procure fazer algo que reforce esse comportamento - um passeio que você goste, a visita de alguém, brincar com seu cachorro. (por questões avaliadas em breve, sugiro que  você evite comidas e gastos financeiros). Isso ajudará seu cérebro a entender que o bom comportamento será recompensado - o que o reforça.

 

Lembre-se que seu futuro é construído pelas suas ações de hoje, não de amanhã. Ponha em prática os pequenos hábitos para construir grandes mudanças.

E você? Como tem lidado com a ansiedade? Deixe um comentário ou envie um e-mail para que possamos ampliar nossa discussão, ok?

 

Fernando Mesquita
Coach | Ponto dos Concursos
 
Este artigo faz parte do grupo "Sucesso de A a Z", meu compromisso estabelecido com a grande comunidade do ponto em 29/07/2013. Um artigo por dia, cada um com uma letra do alfabeto no título. Sugestões? Comentários? Ansiedades? Deixei seu recado e faça parte de nossa crescente comunidade.

Comentários

  • 13/08/2013 - Daniela
    Mais um excelente texto. Isso mostra que o livro que vem por aí será imperdível. Quanto a ansiedade, ela me abala também durante os estudos. Ao estudar determinada matéria e ver que ainda falta muito conteúdo, começo a ficar tensa e preocupada com o tempo que vou levar até finalizar, se vai dar tempo terminar até a próxima prova, se vou ter feito exercícios em quantidade suficiente e nisso vai embora um bom tempo que eu poderia gastar dando continuidade ao estudo.
  • 14/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Daniela, espero que seja imperdível de fato. =D A ansiedade costuma consumir um tempo valioso - porque gastamos tempo pensando no tempo perdido. É meio absurdo, mas também difícil de controlar. Quando tomamos consciência do processo e praticamos saídas, vai ficando mais fácil. Obrigado pelo comentário e bons estudos.
  • 07/08/2013 - Raquel
    Professor eu nunca tinha lido os artigos daqui. Parabéns!! Os dois artigos que li hoje são excelentes, o primeiro falando da inteligência e esse segundo tratando da ansiedade. Tenho muita ansiedade...tomo floral e me ajuda muito, mas suas dicas são boas demais, pois nunca pensei em fazer um diário ( acho super válido)...Vou aprender a viver mais o presente, vou fazer o diário e seguir os conselhos do médico que você citou. Muito Obrigada!!! seu texto é muito bom...vou ler todos os dias agora!!!Abraço
  • 08/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Raquel, então seja muito bem-vinda à nossa pequena comunidade de pessoas focadas na aprovação com qualidade e intensidade (e perdão pelo eco). Tente o diário mesmo, vale muito a pena. Ajuda a identificar uma série de problemas, quiçá eliminá-los. Me diga como foi a experiência, ok? Muito obrigado e acompanhe-nos mesmo. Muita coisa boa por vir. Abraço,
  • 07/08/2013 - Viviane
    Oi Fernando, mais um texto que mostra o quando você é habilidoso na escrita. O seu texto traz palavras harmoniosas que traduzem exatamente o que nós concurseiros sentimos dia após dia.
    Há noites em que me pego resolvendo questões de lógica de olhos fechados, no escuro, e digo a mim mesma:"agora não, quero dormir!"rs.
    Esta frase mostra o quanto a ansiedade é inútil e só nos atrapalha:
    "Nossa ansiedade não esvazia o sofrimento do amanhã, mas apenas esvazia a força do hoje." (Charles Haddon Spurgeon)
    Mais uma frase para terminar:"A ansiedade é a grande peste moderna. A fé, porém, pode curá-la." (Smiley Blanton)
    Meu segredo para mandar a ansiedade para bem longe:orar, pedir a Deus que me dê a paz e a alegria de fazer o que precisa ser feito. Deus só faz a parte Dele se antes fizermos a nossa. Eu digo:"O Senhor sabe todas as coisas e eu confio Nele!"
    abs Fernando!Estou adorando ler os seus textos e poder interagir
  • 08/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Viviane, muito obrigado. Vida de concursando não é fácil, não. Mas seguimos firmes para atingir o objetivo que queremos, certo? Ainda vou falar disso, mas é certo que só não passa quem desiste. E se estivermos lá na linha de chegada, certamente passaremos. Que bom que você está gostando. Ainda temos muitas emoções pela frente. Obrigado por participar, ok? Abraço,
  • 06/08/2013 - simone costa
    Sou empregada pública, concurseira e gestante. Para mim seu texto hoje caiu como uma luva, rsss. Acabei de entrar no 8º mês e todo tempo as pessoas me perguntam: " Falta pouco não é?" Respondo que o tempo é relativo, está mais perto do que longe. Da mesma forma procuro aplicar nos meus estudos, falta muito conteúdo para estudar, mas já esteve bem mais distante.
  • 06/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Simone, que beleza! Desejo um parto tranquilo e muita saúde para o rebento. De fato, tempo é relativo. Muito relativo, inclusive. =D. Como eu sempre digo, se cada dia chegarmos mais perto, melhor ficará. Da mesma forma como se contam as semanas até o nascimento, se formos contando os tópicos do edital vencidos, logo chegaremos. Obrigado por comentar. Abraço,
  • 06/08/2013 - Rosana
    Fernando! Como sempre você dissertou bem sobre a questão do Hoje. Falando nisso essa semana saiu uma lista no site do Cespe das pessoas que obtiveram preliminarmente isenção da taxa do concurso, quando eu vi deu um desespero, pois são tantos, tantos nomes que pensei comigo: imagine quem pode pagar (o tamanho da lista!) rsss...quase entrei na piração de querer "contar", mas me lembrei que tenho uma quantidade ainda bem grande de matérias para rever e de que essa atitude não vale à pena. Abraços!
  • 07/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Rosana, fico feliz que você tenha resistido à tentação de contar os nomes (embora com um "colar especial" no excel pudesse ter feito isso em alguns segundos - hehehe). Mas novamente - feliz que você tenha resistido. Mantenha-se firme no seu objetivo e logo o resultado chegará. Abraço,
  • 06/08/2013 - Daniel Souza Salim
    Professor Fernando, parabéns por mais um texto de extrema importância e escrito de forma a tornar a leitura sempre agradável. A verdade é que tendemos a deixar tudo para "amanhã" e depois pensar no tempo transcorrido para lamentar os equívocos. Tenho um amigo e digo para ele fazer alguns concursos, mas a resposta padrão é "não estou preparado hoje". No entanto, ele não começa a estudar e nunca estará preparado. Vai continuar olhando para o passado e terá as mesmas coisas de hoje. Abraços
  • 07/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Daniel, muito obrigado. Isso é verdade. Quem não começa nunca estará preparado. E muitas pessoas acham que "hoje" não é o dia ideal para isso. Infelizmente (ou felizmente), hoje é só o que temos, certo? Abraço e bons estudos. Obrigado por comentar.
  • 06/08/2013 - Messias Brito
    Mais um excelente texto! Parabéns! Realmente concurseiro tem mania de viver no futuro! rs Não me considero tão ansioso, mas após 2 anos estudando como um verdadeiro concurseiro profissional, não aguento mais viver em função do futuro! É como se eu estivesse numa eterna preparação para algo q nunca chega! É o tempo inteiro pensando em se serei nomeado aqui ou ali? como será a nova vida? valerá à pena? me sentirei mais feliz? vou poder fazer as coisas q gosto, como acredito? Serei capaz de exercer o cargo?
    É uma mudança mto grande na vida. Assim, o medo, a preocupação, a expectativa acabam por nos manter o tempo todo no futuro! Bom, melhor voltar pro presente! rs Por hj só precisa bater minha meta! Abç!
  • 07/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Messias, obrigado pelo apoio. É verdade - ficar contando com o futuro cansa um pouco. Quando nos focamos no agora, fica mais fácil lidar com isso. O futuro chegará de qualquer forma. Se ficarmos pensando nele hoje, certamente teremos problemas em fazer o que queremos ou o que precisamos até então. Pegue firme nos estudos. O futuro nos reserva boas surpresas. Abraço,
  • 06/08/2013 - Gabriela
    A ansiedade dói. Não sei como é para todo mundo, mas eu, que preciso tomar remédio para conseguir me acalmar (e viver), sei que, quando ela é impeditiva, dói.
    A agonia é constante. Os pensamentos nos dominam. Os problemas se tornam maiores que são e as expectativas (que muitas vezes não passam de ilusões - porque falta um senso crítico) são sempre lindas e perfeitas, até que não são mais.
    Uma vez que o problema (químico) é tratado, dá-se para ver um mundo um pouco mais real. E quando ouvimos falar: "viva um dia de cada vez", ou "tudo chega ao seu tempo", o sofrimento de "esperar" ou "viver um dia de cada vez" não é tão grande.
    Para a minha sorte eu tenho a maior ajuda que poderia ter em casa. Um marido carinhoso, atencioso, que me ajuda sempre que necessário a retomar meus passinhos - porque estou reaprendendo a viver, com um pequeno passo de cada vez.
    Obrigada pelos seus textos. Eles têm ajudado de uma maneira que você não pode imaginar.
  • 07/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Gabriela, só posso imaginar a situação. Felizmente, não passei por isso, mas tenho pessoas muito próximas que passam, e realmente é bastante complicado. Desejo um longo relacionamento para você - é difícil achar pessoas que nos completem e nos apoiem. Continue por aqui - muitas emoções ainda por chegar. Abraço e bons estudos, ok?
  • 06/08/2013 - Jean Azevedo
    Terminei de ler um livro que fala exatamente para vivermos o hoje, chama-se O Poder do Agora de Eckhart Tolle, interessantíssimo. Segue abaixo um trecho do livro: ..." Você pode ter recordações, você pode ter sentimentos quando você pensa sobre o passado, você pode se preocupar com o futuro - mas sejamos realistas, o passado não existe mais. Você não pode voltar no tempo e ir para o passado. O passado já era. Ele não existe.

    Você não pode entrar no futuro e ver o que acontece - apesar do que dizem os astrólogos e psíquicos - não existe forma de ver o futuro ou viver no futuro. Ele ainda não aconteceu - um dia esse futuro irá chegar e se você não ficar atento - se você estiver muito focado no passado ou ainda se preocupando com o futuro - você irá perdê-lo completamente.A única coisa que está acontecento neste instante é o momento presente isto é tudo que você está fazendo. O momento que você está experimentando agora nunca mais irá acontecer novamente! .."
  • 07/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Fala, Jean. Acabei de adicionar o livro à minha lista de leituras programadas. Excelente citação. Obrigado pelo comentário.
  • 06/08/2013 - Paula Roberta
    Olá, professor Fernando. Há quase 10 anos eu tomo remédios para controle da ansiedade e da depressão. Ao ler o texto de hoje sobre o Hoje, acabei chorando um pouco, e ainda estou chorando. Obrigada pelas orientações de hoje. Tenho certeza que sairei dos remédios e serei servidora pública. Sou empregada pública concursada, ganho supermal, mas felizmente meu atual empregador público está pagando para que eu saia de lá e seja servidora pública federal, essa é a minha meta diária. Abraços.
  • 07/08/2013 - Prof Fernando Mesquita
    Paula, obrigado pelo comentário. Espero sempre poder ajudar. Tenho certeza que você conseguirá o que busca - essa condição não será capaz de impedi-la. Fico feliz que você esteja encontrando apoio para perseguir uma aprovação. De vez em quando, mande uma notícia e me conte como as coisas andam, ok? Abraço e sucesso.
Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: