Prof. Bruno Fracalossi

31/07/2013 | 08:37
Compartilhar

Hoje é o dia de mudar a sua vida!

Olá pessoal, como vão?



Não dê ouvidos àqueles que dizem que você não conseguirá. Se fosse assim, pessoas de destaque como as que eu cito abaixo não teriam se tornado ícones naquilo que desejavam. A mente é extremamente poderosa. Se você ajustar a sua intuição àquilo que você realmente quer, de coração, ninguém te impedirá de alcançar:



 “Se eu fosse você, tentaria aprender habilidades como secretária, ou iria procurar um marido” (agência de modelo que rejeitou Marilyn Monroe em 1944).



“Melhor você voltar a guiar um caminhão” (o diretor de um espetáculo musical despedindo Elvis Presley em 1954).



“Não é ator, não sabe cantar, ligeiramente calvo, dança um pouco” (veredicto de uma empresa cinematográfica em relação ao teste feito por Fred Astaire em 1928).



Se você não acreditar em si mesmo, quem irá?



Leia o exemplo abaixo:



"Certo homem faliu nos negócios aos 31 anos de idade. Foi derrotado numa eleição para deputado estadual, aos 32 anos. Faliu outra vez nos negócios aos 34 anos. Aos 35, perdeu sua noiva (o grande amor da sua vida). Teve um colapso nervoso aos 36. Perdeu outra eleição com a idade de 38 anos. Perdeu as eleições do Congresso aos 43, 46 e 48 anos. Perdeu uma disputa para o Senado aos 55. Fracassou na tentativa de tornar-se presidente aos 56 anos. Perdeu uma nova disputa para senador aos 58. Quando seus amigos, parentes e companheiros de luta pensaram que ele estava acabado e fracassado, Abraham Lincoln, com 60 anos de idade, foi eleito presidente dos Estados Unidos, um dos maiores estadistas de toda a história."



Hoje é o dia de mudar a sua vida! A virada no rumo da sua história pessoal começa hoje!



Responda o questionário abaixo, e some as pontuações.



Conforme o seu resultado, veja se você está ou não no caminho certo.



1– Eu sei o que eu quero para a minha vida?



a) Sim       b) Talvez c) Não



2 – Eu corro atrás, com toda a garra possível, desse meu objetivo?



a) Sim       b) Talvez c) Não



3 – Consigo estabelecer um planejamento de estudos adequado?



a) Sim       b) Talvez c) Não



4 – Tenho disciplina e comprometimento para cumprir esse planejamento?



a) Sim       b) Talvez c) Não



5 – Tenho preparo psicológico e possuo resiliência para me adaptar às mudanças a um estudo de longo prazo?



a) Sim       b) Talvez c) Não



6 – Fico desmotivado quando não alcanço aquilo que eu queria muito, a ponto de desistir dos meus projetos?



a) Sim       b) Talvez c) Não



7 – Fico desmotivado quando ouço uma crítica ou palavra de desânimo de algum amigo ou familiar, a ponto de desistir dos meus projetos?



a) Sim       b) Talvez c) Não



8 – Consigo me adaptar à realidade de uma maratona de estudo para concursos, e tenho consciência das privações temporárias pelas quais eu deverei passar até alcançar os meus objetivos?



a) Sim       b) Talvez c) Não



9 – Os meus estudos rendem bem?



a) Sim       b) Talvez c) Não



10 – Possuo uma boa estratégia que abranja a tríade : leitura, revisão e exercícios?



a) Sim       b) Talvez c) Não



11 – Acredito fortemente em mim, e sei do meu potencial?



a) Sim       b) Talvez c) Não



(sim=10 pontos; talvez=5 pontos; não=1 ponto)



Se você somou menos que 70 pontos, está na hora de rever os seus conceitos, estratégias e fatores psicológicos no mundo dos concursos.



Do mesmo modo, se você achar que precisa de uma ajuda extra, eu tenho uma para lhe oferecer: os meus Coaching para concursos, que são um case de sucesso, conforme opinião dos próprios coachees.



Muitos filósofos, poetas e outros pensadores têm sugerido, ao longo do tempo, que a chave para o crescimento e a felicidade reside em conhecer e aceitar a si mesmo. Um bom coach tem que se autoconhecer, e isso deve ser feito através de psicoterapia.



É essencial que o coach conheça muito bem a si mesmo, e consiga entender os próprios defeitos e virtudes. Somente assim, ele conseguirá entender o seu coachee, e fazer as intervenções devidas. Felizmente, eu tive a oportunidade de participar de inúmeras sessões de psicoterapia com uma das melhores profissionais do Brasil. E garanto que isso vai me ajudar a te ajudar. O coaching, no fundo, também é uma terapia. No coaching para concursos, a terapia se mistura às técnicas de otimização dos estudos.



Tenho estudado bastante, e usarei também com você os métodos de PNL (Programação Neurolinguística) que explica como as palavras (linguística) podem atingir a mente (neuro) e produzir uma ação (programação). A PNL é baseada num conjunto de modelos, estratégias e crenças que seus praticantes utilizam visando uma comunicação positiva e eficiente entre as pessoas e consigo mesmo com o objetivo de conquistar a excelência e o desenvolvimento pessoal e profissional. É baseada na ideia de que a mente, o corpo e a linguagem interagem para criar a percepção que cada indivíduo tem do mundo, e tal percepção pode ser alterada pela aplicação de uma variedade de técnicas. A fonte que embasa tais técnicas, chamada de "modelagem", envolve a reprodução cuidadosa dos comportamentos e crenças daqueles que atingiram o "sucesso".



Para a maioria das pessoas, a PNL é uma forma de psicoterapia. E a maioria dos livros de PNL considerados mais "sérios" são, na verdade, de aplicações da PNL na mudança de comportamentos individuais, e, assim, apresentam descrições de resultados terapêuticos. No entanto os praticantes de PNL afirmam que a PNL não é terapia - é aprendizagem.



Por quê? A abordagem psicoterapêutica básica, ensinada nas faculdades, ainda é a clássica "descrição de sintomas - encaixe em um diagnóstico - preceituação de tratamento". Em contrapartida, a PNL seguiu o caminho que poderemos chamar de "Modelagem a partir de Sistemas Eficientes”. Isto é, começou com a investigação do que dava certo, não no que estava errado.



Aquilo que a pessoa já sabe fazer bem



Nesta abordagem é, desde o princípio, posto em foco aquilo que a pessoa já sabe fazer bem, e aquilo que ela pode melhorar. São experimentados modelos novos, mudanças de pontos de vista, sejam cognitivos ou comportamentais (metaposição, ressignificação e remodelagem), e motiva-se o indivíduo - agora encarado como um aluno, e não como um paciente - a experimentar estratégias novas de pensar, sentir e agir (comportamento).



No nosso programa de Coaching, faço uma adaptação das técnicas psicoterápicas e do PNL, aos métodos e técnicas de estudos, resultando em um formato inédito no ramo de Coaching para Concursos Públicos, e que você só encontrará aqui.



Se quiser contratar algum deles, é só acessá-los aqui. As vagas são limitadas, e as turmas do básico estão se encerrando rapidamente:



Coaching Básico – turma 03 (esse é a minha especialidade)



Coaching Regular para AFC/CGU



Coaching Intensivo para ATRFB



Coaching Intensivo para APO/MPOG



Um abraço.



Prof. Bruno Fracalossi



brunofacalossi@pontodosconcursos.com.br



www.facebook.com/bruno.fracalossipaes



 


Comentários

Ainda não há comentários

Comentar este artigo
MAIS ARTIGOS DO AUTOR
Compartilhar: